Redes de Almofada
»
03/02/2016
Sempre disposta a novos desafios, Ana Maria sonha em colocar loja própria para vender as rendas produzidas no Trairi FOTO: MARÍLIA CAMELO
Ana Maria da Silva – (Trairi – Ceará)

Liderança em Canaan

Neta e filha de rendeiras, o destino de Ana Maria não poderia ser outro. Mais do que tecer, a filha primogênita de dona Novinha não se cansa de lutar pela valorização do trabalho feito à mão de Canaan, distrito de Trairi. Ana Maria da Silva preside a Associação das Artesãs e Agricultores de Canaan (Artecan). Entretanto, lamenta que determinadas rendeiras dependam de atravessadores e, em alguns casos, ainda troquem a renda por mercadorias.

A realidade incomoda Ana Maria, mas quem acredita no ofício não cede às adversidades. Ela conta que o resgate pela cultura da renda de bilros começou em 2005, quando ninguém queria trabalhar com a linha fina nem misturar a renda ao tecido. Por meio da Ong Terra Azul, do Rio de Janeiro, foi desenvolvido o primeiro projeto e, assim, começou a mobilização do grupo para trabalhar e formalizar a Associação. Com o dinheiro conquistado, a situação melhorou para todos.

No encontro “No encontro “Povos do Mar”, realizado pelo Sesc-Ceará (agosto 2015), Ana Maria explica como se faz rendas de bilros a rapaz com deficiência visual
No encontro “Povos do Mar”, realizado pelo Sesc-Ceará (agosto 2015), Ana Maria explica como se faz rendas de bilros a rapaz com deficiência visual FOTO: MARÍLIA CAMELO

Depois vieram as capacitações de costura, bordado, crochê, bem como as encomendas. Com o apoio determinante de Rosa Cunha, uma filha da terra que muito faz pelo grupo, parte da produção era comercializada em Brasília. "Com a ajuda de custo daquela época, eu até comprei uma televisão. São coisas simples que conquistei. Por isso, vou continuar trabalhando com renda e ajudando a nossa Artecan", justifica.

Minhas três filhas sabem fazer renda, somente Mirella continua. Elas podem não valorizar a renda como eu, mas eu tenho o maior prazer em divulgar a minha cultura"

Em 2013, outro projeto desafiador chegou à Associação. Desta vez, com uma indústria de energia eólica instalada no município de Trairi. O grupo, orientado pelo estilista Ivanildo Nunes, de Fortaleza, desenvolveu a coleção Vida Vento, na qual as rendeiras trabalharam com a linha fina e desenhos exclusivos. O desafio foi cumprido, e o resultado da coleção ficou perfeito, entretanto, o grupo ainda não conseguiu tornar viável a comercialização.

Durante o projeto, Ana Maria teve uma grande aliada, a filha caçula, Mirella, hoje com 19 anos. Sempre que acontecem as feiras, costuma viajar representando Canaan, motivo de muito orgulho para ela. Sonha ainda em ter uma loja própria para comercializar rendas de bilros.

Produzidas com linhas finas e desenhos próprios, as rendas da Artecan são reconhecidas pela qualidade FOTO: MARÍLIA CAMELO
Produzidas com linhas finas e desenhos próprios, as rendas da Artecan são reconhecidas pela qualidade FOTO: MARÍLIA CAMELO

Inspiradas no talento materno